Carta aberta à Educação

Por Maria da Penha Fonseca, coordenadora do curso de Pedagogia da Faculdade Novo Milênio

Olá! Quero abordar uma temática muito presente em nossa vida, uma vez que estamos falando de um espaço de educação em ensino superior e hoje, 28 de abril, comemora-se o Dia Mundial da Educação, data instituída durante o Fórum Mundial da Educação, realizado em 2000, em Senegal, África, com a participação de 164 países.

Desejamos, aqui, resgatar um pouco de memória e fazer referência ao modo como a educação teve que se reinventar no decorrer deste último ano. Sim, há um ano e um mês, mudamos de aulas presenciais para o remoto. Ou seja, o que era real passou a ser virtual. E, neste contexto, professores, alunos, familiares e instituições tiveram que se reinventar, descobrir novas formas de ensinar, aprender e ensinar.

Nesta trajetória, passamos a exercer a educação numa perspectiva de trocas de conhecimentos, de uma forma muito mais ativa do que anteriormente. Aprendemos juntos, realizamos momentos que antes não seriam possíveis, com lives que, apesar das distâncias territoriais, no virtual tornaram-se reais.

O caminho tem sido longo, difícil, desafiador, mas conseguimos fazer o que foi e é possível e, com o apoio de vocês, professores e alunos, conseguimos muito.

Reconhecemos o quanto o contexto da pandemia adicionou novas camadas de dificuldades à missão da educação. Mas, apesar dos muitos desafios já enfrentados e pelos que ainda teremos pela frente, estamos no caminho certo e precisamos acreditar que, com mais valorização, a educação pode transformar a nossa sociedade.

E, nesta semana especial, agradecemos aos professores da Faculdade Novo Milênio que, desde março de 2020, acreditaram na proposta e/ou alternativa do que, a princípio, pensávamos ser provisoriamente possível de garantir a continuidade por meio das aulas remotas, mas, que no decorrer dos meses, tem-se tornado o novo meio de se fazer educação.

Muito obrigado!

1 comentário em “Carta aberta à Educação

  1. Roberto César da Costa Oliveira Motta Responder

    Considero um momento oportuno para fazermos uma reflexão sobre os ensinamentos de Paulo Freire, um educador amável e reconhecido por todos na educação. Nascido em 1921 em Recife, acreditava sempre na transformação do sujeito por meio da interação e diálogos. Tal perspectiva era importante principalmente tratando-se de um contexto de predominância do ensino bancário, sem abertura para a expressão de ideias e construção do conhecimento.

    Ainda precisamos resgatar falas importantes de Paulo Freire, como “se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda.” E também “Amar é um ato de coragem.”

    Hoje comemoramos o seu Centenário lembrando de seus ensinamentos e métodos que estão vivos em nossa geração de educadores.

    No contexto de pandemia, muitos pais tem observado e valorizado o papel árduo do professor ao terem que dedicar tempo para acompanhar seus filhos em casa. Diante disso, precisamos refletir sobre a importância do professor em nossa sociedade, pois “Ainda que desejem bons professores para seus filhos, poucos pais desejam que seus filhos sejam professores. Isso nos mostra o reconhecimento que o trabalho de educar é duro, difícil e necessário.”

Deixe uma resposta para Roberto César da Costa Oliveira Motta Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *