Núcleo de Extensão lança projeto solidário “Troca do Bem”

(Divulgação)

“Se você tem algo sobrando, doe. Se estiver faltando, pode levar. Aqui, todo mundo sai ganhando”. Esse é o espírito da Troca do Bem, campanha colaborativa idealizada pelo Núcleo de Extensão (NEX), que integra colaboradores, alunos, professores, visitantes e a comunidade ao redor da Faculdade Novo Milênio.

O objetivo é arrecadar alimentos, roupas, cobertores, livros, utensílios, entre outros itens, que poderão ser retirados por qualquer pessoa que frequenta a faculdade. As doações ficam na mesa colaborativa – localizada na entrada de pedestres da instituição – e a campanha funciona pela autogestão: a pessoa pega o que está precisando, sem qualquer supervisão ou necessidade de cadastro. A ideia é trabalhar, além da solidariedade, o bom senso.

Segundo o professor Fernando Santa Clara, coordenador do NEX e do curso de Gastronomia da Novo Milênio, a Troca do Bem mostra a relação da responsabilidade social da faculdade com a comunidade no entorno.

“Também é nosso problema e temos que dar conta disso. A Troca do Bem parte desse princípio, de como a instituição se insere dentro do contexto, de como ela devolve para a comunidade aquilo que ela tem de investimento. Isso é uma coisa importante para pensarmos. Quando a gente propõe a Troca do Bem, de fato, é para que haja um ambiente de troca, um ambiente de cuidado de quem pega, de quem doa, um ambiente de respeito”, disse.

Santa Clara ressaltou que, apesar de, à primeira vista, o projeto parecer ser de “mão única”, no sentido de alunos e funcionários ajudarem a comunidade, ele nasce com a proposta de ser uma rede de solidariedade, em que todos possam colaborar e também receber ajuda.

“Hoje eu posso doar, mas, amanhã eu posso pegar. É fato, entretanto, que ainda estamos no inverno e a realidade da quantidade de pessoas em situação de rua não para de aumentar. Temos que entender isso como um problema social. A gente vê a quantidade de desemprego que tem aparecido, as perdas que temos tido em algumas áreas e o aumento de uma população cada vez mais vulnerável”.

Por fim, o coordenador do NEX afirmou que o objetivo é que a Troca do Bem seja, de fato, um projeto fixo, e não somente uma ação pontual.

“Hoje, a Troca do Bem deseja contar, principalmente, com roupas, alimentos, mantas e itens que podemos usar no frio. Mas, essa é uma demanda de agora. Como a Troca do Bem objetiva ser um projeto, e não uma ação, daqui a pouco esses bens vão ser necessários de outras maneiras. Não é só de comida e de roupa que a gente se ‘alimenta’. Também nos alimentamos de cultura, de outros acessos”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *