Alunos da Novo Milênio vencem importante desafio ambiental

(Divulgação)

Colocar os conhecimentos acadêmicos em prática, com os objetivos de melhorar a vida das pessoas e ajudar a preservar o meio ambiente. Com essas nobres causas, os alunos da Faculdade Novo Milênio Lucas Santana (Publicidade e Propaganda), Alessandro Sangiorgio (Pedagogia), Davyd Celante (Administração) e Athirson Jesus (Direito) foram os vencedores do 2º Hackathon Desafio Atitude Ambiental 2021, promovido pela Vale em parceria técnica com a agência Molaa Projetos.

O Hackathon Desafio Atitude Ambiental é um evento online que propõe um final de semana imersivo, com objetivo de buscar ideias inovadoras para desafios que tenham potencial de gerar soluções tecnológicas e/ou modelos de negócios para as temáticas descarte irregular de resíduos sólidos e fauna. O desafio aconteceu entre os dias 26 e 29 de novembro (sexta a segunda-feira), com disputa aberta para estudantes universitários e de cursos técnicos da Grande Vitória e da região do Vale do Aço (Minas Gerais).

Segundo Lucas Santana, o “Plástico Solidário”, projeto dos quatro alunos que foi contemplado no Hackathon, consiste em adaptar triciclos para humanizar catadores de materiais recicláveis da Associação Vilavelhense de Coletores e Coletoras de Materiais Recicláveis (Revive), localizado em Novo México, Vila Velha.

“Nossa ideia é fazer carrinhos adaptados para dar mais mobilidade e exigir menos esforço físico dos catadores”, explicou.

O estudante do 4º período de Publicidade e Propaganda afirmou que, durante os quatro dias imersivos, o grupo foi amadurecendo e lapidando a ideia, contando com a ajuda da equipe de mentoria da Molaa, que dava o caminho a ser seguido. Ao final, eles apresentaram um modelo de implementação do projeto.

“O resultado saiu na segunda-feira (29) e fomos um dos dois projetos contemplados pelo Hackathon. Eram dois temas: resíduos sólidos e fauna. Ganhamos no tema ‘resíduos sólidos'”, comemorou Lucas.

Como premiação, os alunos vão receber R$ 7 mil (para desenvolver o projeto dos triciclos) e seis meses de mentoria. Além disso, um empresário ficou tão satisfeito com as ideias propostas no evento que decidiu convidar os estudantes a viajarem até o Rio de Janeiro, com tudo pago, para conhecerem sua fábrica de reciclagem reversa de óleo.

“Foi uma experiência incrível. Sentimos que cada pessoa da equipe fez toda a diferença. Cada um com as suas competências, com seus conhecimentos adquiridos em seus cursos. A lição que fica é que, nos projetos e na vida, nunca conseguimos fazer nada sozinho.  Sempre precisamos de uma equipe, de pessoas competentes ao nosso lado. E trabalhar por uma causa nobre tornou tudo ainda mais legal”, finalizou Lucas, que agradeceu a professora Renata Frechiani por ter avisado sobre a existência da competição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *