Projeto de Extensão contribui para trabalho de ONG que cuida de animais abandonados

(Divulgação)

O Projeto de Extensão “Au Au Tampinhas”, da Faculdade Novo Milênio, realizou, no atual semestre (2022/1), cinco entregas de tampinhas plásticas e lacres de alumínio para a ONG PraMia.

A proposta de juntar tampinhas e lacres também chegou aos familiares e amigos da comunidade acadêmica, que estão coletando os materiais e entregando na Central de Atendimento ao Aluno (CAA) da faculdade.

A proposta do projeto é uma parceria da Novo Milênio com a ONG PraMia. As tampinhas plásticas e lacres de alumínio recolhidos são vendidos para o processo de reciclagem, com a renda revertida em ações sociais, como alimentação, cuidados médicos e castração de cães e gatos abandonados da Grande Vitória.

De acordo com a professora Maria da Penha Fonseca, coordenadora do Curso de Pedagogia, o projeto não se limita à ação social em prol dos animais, mas também à preservação do meio ambiente, uma vez que esses tipos de materiais levam de centenas de anos para se decompor na natureza.

“Um detalhe que vale ressaltar é que não temos noção do quanto de tampinhas jogamos no lixo, até começarmos a juntá-las. E aí, vale a reflexão do quanto que pequenas atitudes, como a do Projeto Au Au Tampinhas, podem contribuir para a vida no planeta”, ressaltou Penha.

Como participar

Junte lacres de alumínio e tampinhas plásticas, dos mais diversos produtos (alimentícios, higiene e limpeza, etc.), e deposite em um dos coletores vermelhos disponíveis nos corredores da Faculdade Novo Milênio. Contribuindo um pouco mais com o meio ambiente, lembre-se de que as tampinhas e lacres precisam estar lavados, para evitar a proliferação de insetos e odores indesejados nos coletores.

Quer saber mais sobre a ONG PraMia? Acesse o link.

Siga a ONG no Instagram e confira os resultados da ação que estamos participando.

Tema urgente

A poluição plástica foi um dos temas abordados na 5ª Assembleia das Nações Unidas para o Meio Ambiente, ocorrida no ano passado, em Nairóbi (Quênia), tratando de 14 resoluções para fortalecer as ações pela natureza e alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. A Assembleia é formada pelos 193 Estados-membros da ONU e se reúne a cada dois anos para avançar na governança ambiental global.

“Hoje, não há nenhuma área do planeta que não seja afetada pela poluição plástica, desde os sedimentos do mar profundo até o Monte Everest. O planeta merece uma solução multilateral que aborde a questão da fonte ao mar. Um acordo global juridicamente vinculante sobre poluição plástica será um primeiro passo verdadeiramente bem-vindo”, afirmou a vice-secretária-geral da ONU, Amina J. Mohammed, na ocasião.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.