Reinvenção na arte de educar com aulas remotas

(Reprodução)

A pandemia do Coronavírus mudou a rotina e a realidade da maioria das profissões e, entre elas, a de professor certamente sentiu um dos maiores impactos. Então, como contornar todas as dificuldades e limitações que a falta de contato presencial traz para aa educação? Os professores respondem: com muita criatividade, auxílio da tecnologia e, sobretudo, amor à profissão.

No Dia do Trabalhador, comemorado neste 1º de maio, homenageamos todos os profissionais da educação, que tanto lutam para levar ensino de qualidade aos alunos, mesmo em tempos de distanciamento social.

Com 33 anos de carreira, a professora Maria da Penha Fonseca, coordenadora do curso de Pedagogia da Faculdade Novo Milênio, já passou por grandes mudanças da área. Porém, ela afirma que nenhuma foi tão desafiadora quanto o período de pandemia.

“Nenhuma delas gerou tantos conhecimentos e aprendizagens como neste último ano. Com as aulas remotas, tenho acompanhado de perto as dificuldades de muitos alunos e o quanto se esforçam para acompanhar cada aula. Por outro lado, observo com grande orgulho o quanto eles têm descoberto no domínio das ferramentas tecnológicas e do quanto mandam bem nas propostas referentes à área educacional”.

Se a impossibilidade de aulas presenciais já impõe um desafio, imagina quando você é professor de uma área com necessidade de muita prática? É a realidade do professor Fernando Santa Clara, do curso de Tecnologia em Gastronomia da Novo Milênio.

Segundo Fernando, adequar as aulas remotas com o que era esperado fazer em sala de aula e, ao mesmo tempo, despertar o interesse dos alunos, foi um grande obstáculo. Porém, superado com tecnologia e recursos didáticos já conhecidos, para abordar determinadas temáticas.

“O bom e velho apresentador de lâminas foi um recurso muito utilizado por todos os educadores. Mas, descobrimos outras várias ferramentas que poderíamos usar também, para que os alunos pudessem fazer tarefas colaborativas. E, de fato, as ferramentas Google ampliaram muito as possibilidades de atuação”.

No caso específico de Gastronomia, Fernando explica que foram adotadas táticas de aprendizado como, por exemplo, de o aluno estudar mais sobre um determinado prato e, com os ingredientes que tivesse em casa, pudesse fazê-lo para um almoço em família, seguindo receitas específicas, acompanhadas por uma ficha técnica e depois avaliadas pelo professor.

“Repensar as atividades foi realmente desafiador, mas, ao mesmo tempo, muito importante. Hoje, pensar a forma como se faz gastronomia é ver que há, de fato, uma remodelação desse projeto e que a Gastronomia não é só cozinhar. A Gastronomia também é pensar, conversar, refletir, discutir para, então, praticar. É bem desafiador, mas, ao mesmo tempo, é bem gratificante”.

Agradecimento

Aproveitamos o Dia do Trabalhador para também reconhecer e agradecer todo esforço e dedicação dos trabalhadores administrativos, de segurança e de limpeza da Faculdade Novo Milênio, responsáveis por manter todas as engrenagens rodando durante esse período de aulas remotas. Muito obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *